sábado, 20 de outubro de 2018

“Minas e Rio foram prioridade máxima”, diz cientista político sobre escândalo do WhatsApp com Bolsonaro

DCM -19/10/2018

Alberto Carlos Almeida. Foto: Reprodução/YouTube

Do perfil de Facebook do cientista político Alberto Almeida, autor do livro “A Cabeça do Brasileiro”:
Hipótese mais razoável a ser investigada. Com inteligência a campanha de Bolso põe em segundo plano o NE, por ser terreno do PT, o Sul, por ser Bolso, e N e C-O por terem poucos eleitores.
As prioridades foram SP, MG e RJ. O primeiro para dep federal (dep estadual foi bônus) e os dois últimos para todos os cargos. MG e RJ foram prioridade máxima, porque SP já não votava PT. Rio mais importante que MG por causa da candidatura de seu filho ao Senado e por ser sua base principal.
A hipótese pode ser testada investigando-se os prefixos dos números de celular.
Postar um comentário