MST protesta em frente ao STF contra privilégios do Judiciário

Ação foi feita pelo Grupo de Agitação e Propaganda do movimento e também denunciou prisão política de Lula


Militantes vestiram roupas de praia em alusão aos 195 dias de folga a que os magistérios têm direito - Créditos: Divulgação
Militantes vestiram roupas de praia em alusão aos 195 dias de folga a que os magistérios têm direito / Divulgação
Militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizaram, nesta sexta-feira (20), uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para denunciar os privilégios do Poder Judiciário no país.
A ação foi feita pelo Grupo de Agitação e Propaganda do MST, que também atuou no terminal rodoviário da capital federal. Os militantes se reuniram na frente da Corte com cartazes e fizeram uma intervenção teatral, vestidos de roupa de praia, em alusão ao período de dois meses que os juízes têm de férias todos os anos. 

Jailma Lopes, que integra a brigada Carlos Marighella, do MST, explica que o objetivo da ação foi de chamar a atenção para os benefícios e regalias dos juízes.
"O poder judiciário, que é antidemocrático e que é muito caro para o povo brasileiro, tem cometido várias arbitrariedades e está rasgando a Constituição desde o golpe contra a presidenta Dilma [Rousseff]", afirma a militante.
A despesa do governo federal com o auxílio-moradia de magistrados e procuradores já atingiu quase R$ 1 bilhão neste ano. O valor do auxílio chega a R$ 4.378 mensais. O benefício está em discussão há quatro anos no STF e vai ser avaliado pelo ministro Luiz Fux.
Os magistrados também têm direito a 195 dias de folga, ou seja 53% dos dias do ano, entre recesso, férias, feriados e finais de semana.
A ação também divulgou a realização da marcha nacional do MST em Brasília entre os dias 10 e 15 de agosto, data em que será realizado o registro da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, explica Lopes.
"A marcha tem o objetivo de passar pelas cidades, diante do povo brasileiro, e denunciar a prisão política de Lula e denunciar as arbitrariedades desse processo golpista contra o povo brasileiro".
Lula está preso há mais de 100 dias na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. 
Edição: Diego Sartorato

Postagens mais visitadas deste blog

Rosângela Moro já está de malas prontas

Caso de militar réu por estupro abre precedente para punir crimes da ditadura

Nota da defesa de Lula: Novas mensagens reforçam que Lula foi vítima de uma conspiração e de atos ilícitos

VÍDEO, FOTOS: Pelo menos 3 mortos em confrontos antes do clássico do futebol hondurenho