quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Emparedado por delações, Temer faz ofensiva para tentar desmoralizar Janot

Michel Temer Lava Jato
Temer durante evento em São Paulo, na segunda-feira. PAULO WHITAKER REUTERS
presidente Michel Temer (PMDB) e seus advogados, mais uma vez, utilizaram estratégia comum de acusados: atacar seu acusador. O defensor do presidente pediu ao Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira que declare a suspeição de Rodrigo Janot, o procurador-geral da República, e o impeça de ser parte do processo que investiga a existência do “quadrilhão do PMDB do Congresso”, nas mãos da corte. O argumento do advogado do peemedebista, Antonio Claudio Mariz de Oliveira, é de que o procurador tem uma "motivação pessoal" contra o presidente. Nos bastidores, contudo, a defesa quer evitar qualquer dano que as delações do doleiro e operador do PMDB Lúcio Funaro e do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) possam causar ao Planalto. O acordo com Funaro está em fase de conclusão. O de Cunha ainda segue em negociação. Ambos estão presos no âmbito da Operação Lava Jato.
Postar um comentário