sábado, 22 de julho de 2017

INDICIAMENTO DE TEIXEIRA PELA PF PODE AUMENTAR PRESSÃO DE TEMER SOBRE A GLOBO; GÂNGSTERS DO FUTEBOL TENTAM EVITAR QUE FBI RECEBA DOCUMENTOS DO BRASIL

VIOMUNDO - 21/07/2017

.
Campos Pinto (da Globo) entre os gângsters Ricardo Teixeira e J. Hawilla, dono de afiliadas da Globo, na Argentina; Campos Pinto em elogio público a Marin e Del Nero, sucessores de Ricardo Teixeira, quando ambos poderiam ameaçar os negócios da Globo com a CBF; Campos Pinto perdeu o emprego, Del Nero foi indiciado nos EUA, Marin e Hawilla se tornaram delatores do Fifagate. Tutto buona gente.

“2015 vai entrar na história do futebol brasileiro como um grande ano. O ano em que há poucas semanas o presidente José Maria Marin passou o bastão para o presidente Marco Polo. Presidente Marin, em nome do grupo Globo, em meu nome, eu gostaria de agradecer todo o carinho, toda a atenção com a qual o senhor sempre nos brindou, sempre aberto a discutir os temas que interessam ao futebol brasileiro, dos quais me permito destacar, o novo formato da Copa do Brasil, que deu mais charme a essa competição promovida pela CBF, que é a verdadeira competição do futebol brasileiro”. Marcelo Campos Pinto, ex-todo poderoso do futebol da Globo, em elogio público a Marin e Marco Polo, depois que eles demonstraram ser tão capachos dos interesses da Globo no futebol quanto Teixeira.
Ricardo Teixeira será indiciado pela Polícia Federal
De acordo com informações do repórter Wanderley Nogueira, da Rádio Jovem Pan, as autoridades brasileiras receberam documentos de Espanha, Estados Unidos e Suíça nos quais constam “provas de falsidade ideológica, apropriação indébita e evasão de divisas” envolvendo o ex-dirigente.
Os papéis revelam que Teixeira fazia parte de uma “organização criminosa transnacional” e usava a Seleção Brasileira para lavar dinheiro.
A suspeita é de que, ao lado do ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell, o ex-mandatário da CBF tenha lucrado 15 milhões de dólares (cerca de R$ 49 milhões) com a venda de direitos de imagem de jogos do Brasil a uma empresa do Catar.
O indiciamento não significa, necessariamente, que Ricardo Teixeira será preso pelos agentes brasileiros.
No entanto, pode servir para que os advogados do ex-dirigente recomendem a ele que enfrente o FBI e assine um acordo de delação premiada nos Estados Unidos.
Segundo Wanderley, Teixeira decidiu, também, não atender a telefonemas de pessoas que estão sendo monitoradas pelas autoridades.
Nesse momento, afinal, qualquer cuidado é pouco…
PS do Viomundo: Se a PF de fato indiciar Ricardo Teixeira, aumenta a pressão sobre a emissora, o que beneficia Michel Temer. Como se sabe, a Globo quer substituir Temer por Rodrigo Maia, o presidente da Câmara.
O futebol é o fio desencapado da Globo. Quando Teixeira caiu, denunciado por desviar R$ 30 milhões da FIFA, mereceu uma reportagem elogiosa no Jornal Nacional.
Com a ascensão de José Maria Marin e Del Nero na CBF, Marcelo Campos Pinto — o homem-forte do futebol da Globo, parceiro de churrasco de Teixeira — passou a disparar e-mails elogiosos à nova gangue, que elogiou publicamente.
Kléber Leite, da Klefer, empresa de marketing do futebol que sofreu busca e apreensão no Rio de Janeiro, é outra bomba relógio do futebol. Ele obteve na Justiça do Rio, da juiza Débora Valle de Brito, da nona vara criminal, uma decisão que sustou a colaboração do MPF com o FBI na investigação do Fifagate.
O FBI não pode receber os documentos sobre cartolas brasileiros obtidos na busca e apreensão, inclusive os que potencialmente podem envolver a Globo.
O MPF entrou com recurso, mas ele dorme há mais de um ano na gaveta do desembargador Napoleão Nunes Maia Filho, no STJ. A quem interessa evitar a colaboração? Façam suas apostas.
Leia também:


Postar um comentário