quinta-feira, 6 de julho de 2017

Denunciado por conflito de interesses, Parente se explicará à PGR

RESPOSTAS
Federação Única dos Petroleiros apresentou representação contra o presidente da Petrobras, sócio de empresa voltada a maximizar lucros de milionários brasileiros

pedro parente.jpg
Segundo a FUP, desde a posse de Pedro Parente, a Petrobras sofre com um desmonte promovido por sua gestão

por Redação RBA - publicado 06/07/2017

São Paulo – Até o próximo dia 24, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, terá de responder à Procuradoria-Geral da República (PGR) a representação feita pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), denunciando-o por conflitos de interesses na gestão da empresa. O ofício foi expedido nesta terça-feira (4), pela procuradora Daniella Piza, da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão, que atua no combate à corrupção.

Na representação feita ao Ministério Público Federal (MPF), a FUP pede o afastamento de Parente, ressaltando a "ilegitimidade do governo que o indicou" e a existência de "conflito de interesses" na presidência da Petrobras. Pedro Parente é sócio fundador da Prada Consultoria, grupo de gestão financeira e empresarial presidido por sua mulher e especializado em maximizar os lucros dos milionários brasileiros, entre eles, os detentores das 20 maiores fortunas do país.
"Terão as 20 famílias-clientes do representado renunciado publicamente a qualquer operação financeira relacionada, ainda que indiretamente, à Petrobras?", questiona a FUP, tomando como base o Artigo 5 da Lei 12.813/2013, que trata de conflito de interesses no exercício de cargo ou emprego no âmbito do Poder Executivo federal.
A FUP denuncia que, desde a posse de Parente, a Petrobras sofre com um desmonte promovido pela gestão. Segundo os petroleiros, a ideia do presidente é sucatear para privatizar a estatal.
 


Postar um comentário