sexta-feira, 14 de julho de 2017

Charles Bausman: "Rússia, China fartas da dita 'hegemonia' dos EUA"

.
12/10/2017, Charles Bausman, Rússia Insider - Postado por 
Chineses são diplomatas extremamente cautelosos no serviço de evitar qualquer afirmativa duvidosa em seus pronunciamentos oficiais, motivo pelo qual se deve levar muito a sério o que adiante se lê.

Há algumas semanas, o Global Times, versão em inglês do Diário do Povo [orig. People's Daily], espécie de versão chinesa de RT ou Sputnik russos, pronunciou-se com absoluta clareza, num editorial no qual fazia o balanço da visita de Putin.

Ali se lia que "os EUA são a principal fonte de riscos estratégicos globais" –, dada a incansável pressão militar que os EUA vivem de fazer contra Rússia e China, forçando os dois países a responder.

O editorial explica o que é ofuscantemente óbvio para qualquer calouro de primeiro ano de ciências políticas: "Os EUA não conseguem derrotar o dragão chinês e o urso russo ao mesmo tempo". – Em seguida, o editorial diz que as duas potências estão "fartas" do comportamento dos norte-americanos.

O editorial prossegue, explicando que nem China nem Rússia querem confronto com os EUA, e em todos os casos preferem relações diplomáticas amigáveis, mas os EUA estão tornando isso impossível. Leia o editorial, aqui.

Famoso bispo russo disse certa vez que "O diabo é esperto e ardiloso, – mas também muito estúpido". É o que parece explicar o comportamento do estado profundo dos EUA, que arquitetou a trama macabra que resultou em unir Rússia e China contra os EUA.

Essa estupidez tem aparecido bem à vista ultimamente – perderam uma eleição em que investiram até o último vintém de seu vastíssimo poder burocrático e de controle sobre a imprensa; perderam o Oriente Médio, no movimento de apoiar o terrorismo do ISIS e ser apanhado nessa atividade criminosa; encenaram o golpe ridículo que chamam de Russiagate e o meme explodiu-lhes na cara, afastando deles a maioria dos norte-americanos e alemães, com esse incansável matraquear que adequadamente se conhece como "noticiário falso", com o que perderam completamente a confiança da opinião pública.

Hoje já não passa semana sem que sejam derrotados, expostos e ridicularizados cada vez mais, risadas que prosseguem ininterruptas já há um anos, desde o surgimento de Trump. É o que me rende um fiapo de esperanças, quanto a o que nos reserva o futuro.

Não há como não se espantar ante a autoimolação das 'elites' norte-americanas.*****


Postar um comentário