sábado, 24 de junho de 2017

UM DOS APOIADORES DO GOLPE, SETUBAL COBRA REFORMA TRABALHISTA

REUTERS/Paulo Whitaker
Roberto Setubal - Itaú-Unibanco


247 - 24/06/2017

Durante evento da XP Investimentos neste sábado, 24, o co-presidente do conselho de administração do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, um dos apoiadores do golpe parlamentar, disse que o Congresso Nacional "precisa urgentemente aprovar a reforma trabalhista, para evitar custos extras para empresas e consumidores"; "A rigidez excessiva da legislação trabalhista está criando um enorme fardo para os cidadãos, que acabam pagando mais pelos bens e serviços que compram", disse Setubal

SÃO PAULO (Reuters) - O Congresso Nacional precisa passar urgentemente aprovar a reforma trabalhista, para evitar custos extras para empresas e consumidores, disse neste sábado o co-presidente do conselho de administração do Itaú Unibanco, Roberto Setubal.

A rigidez excessiva da legislação trabalhista está criando um enorme fardo para os cidadãos, que acabam pagando mais pelos bens e serviços que compram, disse em evento da XP Investimentos.

Segundo o executivo, a turbulência política dificilmente diminuirá nos próximos meses, colocando desafios à ambiciosa agenda de reformas do presidente Michel Temer. As políticas bem sucedidas até agora ajudaram a mitigar esses riscos, disse ele.

"As pessoas precisam entender que reformar um código trabalhista desatualizado é bom para os negócios, mas em última análise para os consumidores, que estão sobrecarregados com as ineficiências do mercado", disse Setubal.

Setubal disse que o preço pago pelo Itaú Unibanco por uma fatia na XP envolve "taxas de crescimento muito altas" à frente.

O Itaú pagou 5,7 bilhões de reais por 49,9 por cento da XP em maio para crescer nos segmentos de corretagem e gestão de recursos. Para ele, manter a XP independente é bom para ajudar a aprofundar a atividade do mercado de capitais a longo prazo.

(Por Guillermo Parra-Bernal) 

Postar um comentário