quarta-feira, 28 de junho de 2017

‘República sem povo não é República’, diz Renan ao deixar Liderança do PMDB

.
Por Paloma Rodrigues - no Poder360 - 28.jun.2017 (quarta-feira) - 17h27 atualizado: 28.jun.2017 (quarta-feira) - 18h03

Agora ex-líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros discursou na tarde desta 4ª feira (28.jun.2017) no plenário da Casa para justificar a saída do cargo.
Renan disse que permanecer na Liderança seria apoiar 1 governo que “massacrou trabalhadores e aposentados, desviando se do próprio plano partidário”. “República sem povo não é república”, disse.

O peemedebista afirmou não concordar com a maneira com que Michel Temer tentou acelerar a aprovação das reformas do governo. “Não detesto Michel Temer. Não tolero a sua postura covarde diante do desmonte da CLT.” 
O alagoano afirmou que o Planalto perseguiu congressistas. “Chegando ao ponto de impedir mudanças do Senado na reforma trabalhista.” Após a derrota do governo na CAS, O Planalto puniu o senador Hélio José (PMDB-DF) por ter votado contra a reforma trabalhista na CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado.
O pedido de Michel Temer para que os senadores não alterem a reforma também foi criticado. Com objetivo de acelerar a tramitação, o Planalto sugeriu que as mudanças na reforma trabalhista fossem feitas via medida provisória ou veto presidencial. “Estamos diante da degradação do bicameralismo, com a imposição de uma Casa à outra”, afirmou.
Postar um comentário