quinta-feira, 2 de março de 2017

Mulheres sairão às ruas no 8 de março contra Reformas de Temer.


Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Fotos Públicas
  
A marcha está sendo construída de forma unificada, em conjunto com organizações protagonistas na luta pela emancipação da mulher, como a União Brasileira de Mulheres (UBM), Marcha Mundial de Mulheres, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), entre outras entidades juvenis e do movimento estudantil.

Neste ano, além dos atos que ocorrerão no Brasil, mulheres argentinas que mobilizaram o "Ni Una Menos" e estadunidenses que lutam contra as políticas de Trump, também sairão às ruas e unificarão suas bandeiras com outros países.  



Maria das Neves, diretora da União da Juventude Socialista (UJS) e União Brasileira de Mulheres (UBM), participa da comissão organizadora da Marcha Mundial das Mulheres e explica que a ação internacional tem como centro "apoiar e nos solidarizar, a partir das nossas pautas centrais: Reforma da Previdência, Trabalhista e Fora Temer", diz.

A jovem considera o momento de mobilização total contra as ameças ofertadas pelo consórcio golpista. "É fato que em todo no mundo as mulheres sem mobilizam, no entanto, a conjuntura brasileira impõe um contexto muito específico, a luta incondicional em defesa das trabalhadoras, neste momento seriamente ameaçadas com a Reformas do governo Michel Temer, portanto, sairemos às ruas contra esse cenário", avalia Maria das Neves.

"A UBM está convocando toda sua militância para o próximo 8 de março. Convidaremos a juventude a parar suas escolas e universidades e toda mulher que puder participar faço o convite para marchar conosco na Praça da Sé", conclui Maria.

"Marcha Mundial das Mulheres- São Paulo" 


Onde: Praça da Sé
Horário: 15h
Data: 8/3



Do Portal Vermelho 

Postar um comentário