segunda-feira, 10 de julho de 2017

Xi reúne-se com Abe e pede ao Japão que remova distrações de laços com ações

.
Fonte: Xinhua 09.07.2017

O presidente chinês Xi Jinping disse sábado, em Hamburgo, que o Japão deve cumprir com suas palavras nos assuntos relacionados à história e Taiwan, e remover as distrações nas relações bilaterais com estratégias e ações concretas.

Ao se reunir com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe no âmbito da atual cúpula do Grupo dos Vinte (G20), Xi também pediu ao Japão que aprenda com a história para garantir que as relações China-Japão avancem na direção certa e tenham uma perspectiva mais brilhante.

Xi observou que as relações amistosas firmes entre a China e o Japão não só concernem o bem-estar dos dois povos, mas também têm um impacto na Ásia e no mundo em geral.

A China e o Japão normalizaram suas relações diplomáticas 45 anos atrás depois de atingir importante consenso sobre a história, Taiwan e as Ilhas Diaoyu, entre outros assuntos. No ano que vem, as duas nações abraçarão o 40º aniversário da assinatura do Tratado China-Japão de Paz e Amizade.

O presidente chinês disse que os dois países devem promover seu senso de responsabilidade neste momento, e aproveitar as oportunidades na nova era dos laços bilaterais.

Apesar das voltas e reviravoltas, e outros testes severos nos últimos 45 anos, o desenvolvimento das relações Beijing-Tóquio forneceu a ambos os lados muitas inspirações construtivas, disse Xi.

Para o Japão, ele deve comprovar suas expectativas para paz, amizade e cooperação com a China com políticas e ações concretas, acrescentou.

A confiança política é a premissa das relações China-Japão, disse Xi, se referindo aos quatro documentos políticos e o acordo de quatro pontos que servem como os princípios orientadores dos laços bilaterais para tratar adequadamente dos assuntos relacionados com a história e Taiwan, entre outros.

Esses assuntos, vitais para a base política dos laços China-Japão, não têm nenhum espaço para concessão ou regressão. Caso ao contrário, as relações bilaterais sairão do curso certo e diminuirão o ritmo do desenvolvimento, disse.

O presidente chinês também saudou o Japão para juntar-se à cooperação pragmática do Cinturão e Rota, pedindo intercâmbios de ampla variedade entre os dois lados em cultura, educação, mídia, nível local e jovens, em um esforço para conquistar mais apoio público para a amizade bilateral.

Por sua parte, Abe disse que seu país está pronto para demonstrar a presciência e acrescentar dinâmica para seus laços com a China, pois os dois países, a segunda e terceira maior economia do mundo, respectivamente, são jogadores influentes nos assuntos mundiais e regionais.

O líder japonês quer mais intercâmbios de alto nível com a China, acrescentando que ele está disposto a promover a cooperação bilateral com a China em tais áreas como economia e comércio, finanças, turismo, assim como a colaboração do Cinturão e Rota.

Ele também prometeu que sobre Taiwan da China, não há nenhuma mudança na posição do Japão definida em sua declaração conjunta com a China em 1972.

Postar um comentário