segunda-feira, 24 de julho de 2017

Chilenos fazem paralisação contra sistema privado de previdência

Tele13
Ao contrário das reformas do Brasil, onde o governo quer enfraquecer o sistema previdenciário, no Chile a população pede a intervenção do Estado em um sistema privado falidoAo contrário das reformas do Brasil, onde o governo quer enfraquecer o sistema previdenciário, no Chile a população pede a intervenção do Estado em um sistema privado falido

Faz um ano que os trabalhadores começaram este movimento contra as AFP. Eles pedem que o sistema previdenciário seja novamente estatizado. A manifestação desta segunda para este longo período de luta. 


Um dos porta-vozes da Coordenadoria Nacional Não + AFP, Luis Mesina, defende o fim das administradoras dos fundos de pensão porque “dentro do marco deste sistema é impossível melhorar nossas aposentadorias”. Segundo ele, o movimento vai recusar qualquer proposta de reforma deste sistema previdenciário privado e exigir que o Estado assuma esta responsabilidade.

A Coordenadoria Nacional de Trabalhadores Não + AFP planeja fazer um plebiscito em todo o território chileno entre os dias 29 de setembro de 1 de outubro. Segundo o porta-voz, esta será a oportunidade de saber o que todos os cidadãos pensam sobre este sistema implementado durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) que hoje se mostra ineficiente. 


Do Portal Vermelho, com Telesur
Postar um comentário