segunda-feira, 12 de junho de 2017

Investigado, Santander é alvo de protestos em diversos países

#SANTANDERGAMEOVER
Banco espanhol é responsável por crise financeira no Porto Rico e Espanha. Ele também é acusado por fechar postos de trabalho no Brasil e prática antissindical nos Estados Unidos
por Redação RBA publicado 12/06/2017 
SPBANCÁRIOS
brasil santander.jpg
Brasil: bancários protestam contra a extinção de empregos: foram 3.245 postos eliminados em doze meses
São Paulo – Bancários de diversos países fazem manifestações, hoje (12), contra as atuações do banco Santander no Brasil, Estados Unidos, Espanha e Porto Rico. Sete ex-diretores de alto escalão do banco são investigados na Espanha por suposta lavagem de dinheiro e serão ouvidos pela Justiça, nesta segunda.
Com sede na Espanha, o Santander é o maior banco da zona do euro. No Brasil, a empresa teve um lucro recorde de R$ 2,280 bilhões no primeiro trimestre deste ano. Os bancários brasileiros fazem atos em duas sedes da instituição, ambas localizadas na zona sul de São Paulo. Eles protestam contra a extinção de empregos: foram 3.245 postos de trabalho eliminados em doze meses e 327 apenas nos primeiros três meses deste ano.
Em Barcelona, trabalhadores protestaram após a denúncia contra o Santander. Com cartazes, eles afirmaram que as fraudes da instituição impactam na vida dos espanhóis. Algumas agências foram fechadas.

Nos Estados Unidos, os trabalhadores denunciaram práticas antissindicais – o banco espanhol proíbe seus funcionários de se filiar à sindicatos. "A forma como o Santander age nos países onde atua envergonha os trabalhadores do banco. Não podemos tolerar que uma instituição financeira desse porte, que lucra tanto nesses países, perpetue modelos abusivos, antidemocráticos e economicamente devastadores", critica a presidenta da UNI Finanças Mundial, Rita Berlofa.
Em Porto Rico, os bancários protestam contra o banco porque, segundo eles, "o Santander é um dos principais responsáveis pela crise que destrói a economia e agrava a pobreza" – a referência é à capitalização de juros da dívida pública, idealizada pelo ex-diretor do Santander, Carlos Garcia, do qual o banco espanhol é um dos principais beneficiários.
CARLOS MACÍAS‏/TWITTERporto rico santnader.jpg
Em Porto Rico, bancários denunciam que Santander é responsável pela crise econômica do país
PAH BARCELONA/TWITTERbarcelona santander.jpg
Bancários espanhóis protestam contra fraudes do Santander na Espanha
SPBANCÁRIOSeua santander.jpg
Bancários brasileiros prestam solidariedade os trabalhadores americanos que sofrem com práticas antissindicais do banco
Postar um comentário