segunda-feira, 5 de junho de 2017

Extrema-direita lança campanha para impedir resgate de migrantes no Mediterrâneo

Campanha de recolha de fundos, lançada em meados de maio pelo movimento de extrema-direita “Geração Identitária”, já reuniu 64 mil euros. Objetivo é atacar barcos e equipas de salvamento e combater aqueles que identificam como os “inimigos da Europa”.

esquerda.net - 5 de Junho, 2017 - 00:24h

Refugiados a chegar à ilha de Lesbos num barco vindo da Turquia (Lazar Simeonov).
Segundo avança o The Guardian(link is external), os ativistas de extrema-direita estão a planear uma campanha marítima para o próximo verão que visa impedir as operações de salvamento de migrantes no Mediterrâneo. Em menos de três semanas, já recolheram, através de uma campanha anónima de crowdfunding, mais de 64.500 euros para pagar navios, custos de viagem e equipamentos de filmagem.
“Barcos completamente cheios de imigrantes estão a invadir as fronteiras da Europa. É uma invasão. Esta imigração em massa está a modificar o rosto do nosso continente. Estamos a perder a nossa segurança, a nossa forma de vida e estamos em perigo de nos tornarmos uma minoria nas nossas próprias terras”, lê-se(link is external) na página de internet do grupo francês.

Em maio, ativistas de extrema-direita de várias nacionalidades, entre os quais a canadiana Laura Southern, perturbaram a atividade de uma embarcação da associação não-governamental SOS Méditerranée, que resgatava náufragos ao largo da Sicília. A marinha italiana acabou por intervir, levando a cabo várias detenções.
Simon Murdoch, do centro anti-racismo Hope Not Hate, revelou-se “pouco chocado” com as ações que o grupo está a planear. “É terrível, mas não me choca vindo de quem vem. Que estes ativistas de extrema-direita estejam a tentar prevenir missões de cariz humanitário, que ajudam algumas das pessoas mais vulneráveis do mundo, incluindo mulheres e crianças em risco de morrerem afogadas, mostra bem onde se situa a sua compaixão”.
De acordo com dados das Nações Unidas, desde o início do ano, 1.650 migrantes morreram durante a travessia do Mediterrâneo. A atividade das equipas de salvamento permitiu o resgate de 6.453 pessoas. 228 corpos foram retirados das águas. 
Postar um comentário